Arquivo da tag: software automação de biblioteca

Instalação e Configuração – Koha (Software automação bibliotecas)

Conforme publiquei a algum tempo atrás uma receita de bolo para instalar o software de biblioteca GNUTECA, faço agora o mesmo com o software KOHA. A intenção é disseminar o uso do ótimo software de automação de bibliotecas.

Em tempo, desfrutem do Manual do Koha, disponibilizado pelo IBICT.

 

A seguir um conjunto de passos para fazer a instalação e configuração inicial:

1 – Instalar o Linux Ubuntu 14.04 LTS 64 bits ou o Linux Mint 17.2 64 bits.

O procedimento descrito foi testado com essas duas versões de Linux. Testei também com o Ubuntu 15.10 32 bits mas apareceram alguns problemas, portanto sugiro o uso das citadas.

2 – Após instalar atualizar o apt-get

-> sudo apt-get update

3 – Instalar o Apache

-> sudo apt-get install apache2

4 – Instalar o PHP

-> sudo apt-get install php5 php5-cli php5-dev php5-mcrypt php5-curl php5-gd libapache2-mod-php5

5 – Instalar o MySQL e o PHPMyAdmin

-> sudo apt-get install mysql-client-5.5 mysql-server-5.5 php5-mysql phpmyadmin

– observe que tem que digitar a senha para o usuário root do mysql
– depois pode setar o apache2 para configurar como server web (basta marcar)

Depois vai pedir informações sobre o PHPMYADMIN
– senha para conta administrativa
– senha do MySQL para PHPADMIN

6 – Adicionar chave

-> wget -q -O- http://debian.koha-community.org/koha/gpg.asc | sudo apt-key add –

7 – Adicionar repositório do Koha

-> echo ‘deb http://debian.koha-community.org/koha stable main’ | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/koha.list

8 – Atualizar apt-get novamente

-> sudo apt-get update

9 – Instalar KOHA

-> sudo apt-get install koha-common

10 – Alterar o direcionamento das portas, editando o arquivo koha-sites.conf

-> sudo nano /etc/koha/koha-sites.conf

Alterar porta interna para 81

INTRAPORT=”81

Alterar porta OPAC para 82

OPACPORT=”82

OBS: Esses valores de portas (81 e 82) podem ser outros de sua preferência, entretanto esses valores vão se repetir mais a frente, fique atento. Escolhi esses números de porta para evitar conflitos.

Captura de tela 2016-03-24 08.07.28

11 – Habilitar o modo de Rewrite no Apache

-> sudo a2enmod rewrite

12 – Habilitar execução de CGI no Apache

-> sudo a2enmod cgi

13 – Reiniciar o serviço do Apache para que as alterações anteriores tenham efeito.

-> sudo service apache2 restart

14 – Criar a instancia de execução do KOHA

-> sudo koha-create –create-db koha_usp

Obs: o último parâmetro utilizado é o ‘koha_usp’, nome que escolhi para minha instância. Você pode escolher o nome que quiser. Entretanto é importante saber que precisaremos e repetiremos o nome da instância na continuação da instalação.

Verá após a execução que o serviço foi iniciado.

Captura de tela 2016-03-24 08.22.29

15 – Instalar a tradução para o Português.

-> sudo koha-translate --install pt-BR

16 – Configurar o apache para que ele abra as portas 81 e 82 para receber requisições Web, para isso vamos editar o arquivo ports.conf.

-> sudo nano /etc/apache2/ports.conf

Insira as linhas descritas abaixo no seu arquivo, lembre-se que essas portas foram as escolhidas anteriormente para o modulo administrativo e para o OPAC:

Listen 81

Listen 82

Captura de tela 2016-03-24 08.24.48

17 – Reiniciar novamente o serviço do apache

-> sudo service apache2 restart

18 – Quase pronto, agora é necessário realizar a instalação efetiva do software. Para isso acesse no seu browser o seguinte endereço:

->  http://localhost:81

Obs: esse será sempre seu endereço de acesso quando estiver na máquina da instalação. Caso queira se conectar de outra máquina via Web deverá usar o endereço IP digitando (http://XXX.XXX.XXX.XXX:81).

Captura de tela 2016-03-24 08.33.41

19 – Para continuar vai precisar de um usuário e uma senha que foram gerados no momento da criação da instância. Abaixo mostro como recuperar essas informações. É importante notar que na descrição do comando uso o nome da instancia, no meu caso ‘koha_usp’, atente-se a isso se usou um nome de instância diferente (passo 14).

Primeiro o comando para identificar o usuário, que em geral é koha_nomedainstancia (no meu caso é koha_koha_usp.

Para identificar o nome do usuário use:

->  sudo xmlstarlet sel -t -v ‘yazgfs/config/user’ /etc/koha/sites/koha_usp/koha-conf.xml

Veja o resultado:

Captura de tela 2016-03-24 08.43.12

Em seguida deve utilizar o comando para identificar a senha a ser usada, lembre-se novamente que na execução do comando vai o nome da minha instancia:

-> sudo xmlstarlet sel -t -v ‘yazgfs/config/pass’ /etc/koha/sites/koha_usp/koha-conf.xml

Veja o resultado:

Captura de tela 2016-03-24 08.43.32

20 – De posse se usuário e senha, entre no sistema (tela web http://localhost:81) e inicie o processo de configuração.

Captura de tela 2016-03-24 08.42.26

Captura de tela 2016-03-24 08.48.37

Captura de tela 2016-03-24 09.03.21Captura de tela 2016-03-24 09.03.31Captura de tela 2016-03-24 09.03.41Captura de tela 2016-03-24 09.03.51Captura de tela 2016-03-24 09.04.35

21 – Se chegou até aqui é porque deu tudo certo. Atente-se ao próximo passo, penso que para iniciar com o Koha é bem importante.

Captura de tela 2016-03-24 09.04.48

Ele oferece a opção de “instalar ajustes básicos de configuração”, penso que é importante aproveitar as configurações iniciais e pré-configurações do Koha, principalmente para iniciantes no sistema. Portanto clique no link e vá para próxima tela. Inclusive acho interessante marcar os dados de teste – “selecionar todos os dados de teste” –  (tela posterior) para que o sistema fique carregado com informações de exemplo (tipos de usuários, etc).

Captura de tela 2016-03-24 09.12.11Captura de tela 2016-03-24 09.14.16

22 – Estamos quase lá.

Captura de tela 2016-03-24 09.21.12

23 – Use seu usuário e senha para novamente logar no sistema. Os mesmos do começo do passo 20.

24 – Alteração do idioma.

Para fazer isso, ao logar no sistema clique em: Koha_Administration e depois em Global System Preferences e em Seguida no menu a direita em: I18N/L10N e então poderá selecionar a opção do idioma em português (tanto para sitema como para o OPAC).

Captura de tela 2016-03-24 09.24.46

 

Captura de tela 2016-03-24 09.24.56

 

Captura de tela 2016-03-24 09.29.43.png

Resultado:

Captura de tela 2016-03-24 09.30.47.png

25 – Com o sistema configurado, lembre-se que para acessar o OPAC precisa logar com outro endereço (configuramos a porta 82, ok).

Acesse no browser: http://localhost:82

Captura de tela 2016-03-24 09.31.08

 

26 – DIVIRTA-SE!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Instalação e configuração – Gnuteca

Tenho notado uma certa dificuldade da comunidade na tentativa de usar o Gnuteca, um ótimo software para automação de bibliotecas.

Segue um pequeno tutorial para instalar e configurar para uso.

1 – Instalar uma versão recente de 32 bits do Linux Ubuntu ou Linux Mint.

2 – Baixar gnuteca_3.2.3.deb no site (http://www.softwarepublico.gov.br/dotlrn/clubs/gnuteca/file-storage/). Precisa estar logado, se necessário crie uma conta.

3 – Instalar o arquivo baixado (basta dar dois cliques e ele abre a central de programas do ubuntu). Obs: vai dar um erro, pede para ignorar e instalar.

4 – Alterar a senha do usuario postgres do linux. Para isso execute o seguinte comando no terminal:

$ sudo passwd postgres

Inicialmente ele pedirá sua senha de administrador e depois para digitar e redigitar a nova senha para o usuário postgres (use como senha a palavra postgres, ou alguma que se recorde posteriormente). No nano utilize CTRL + O para salver e CTRL +X para sair.

5 – Alterar a senha do usuario postgres do próprio banco de dados. Para isso precisa estar logado com o usuário postgres do linux. Para isso execute os comandos abaixo:

$ su postgres

ele vai pedir a senha que foi alterada anteriormente (digite postgres se anteriormente mudou a senha para postgres)

$ psql -c “ALTER USER postgres WITH PASSWORD ‘postgres'” -d template1

se der certo receberá a mensagem ALTER ROLE

6 – Criar o database gnuteca3 com o seguinte comando:

$ createdb -U postgres gnuteca3 -E latin1 –locale=POSIX -T template0

7 – Entrar no Psql:

$ psql -U postgres gnuteca3

Ao executar o comando, se tudo der certo, receberá como prompt o seguinte:

gnuteca3=#

8 – Dentro do Psql executar os seguintes comandos:

\i /var/www/miolo25-gnuteca/modules/gnuteca3/misc/sql/dump_gnuteca3.sql

  \i /var/www/miolo25-gnuteca/modules/gnuteca3/misc/sql/dump_gnuteca3_users.sql

9 – Sair do psql (use \q)

10 – Sair do usuario postgres no linux, comando:

$ exit

11 – Alterar dentro da seção <db> do arquivo /var/www/miolo25-gnuteca/etc/miolo.conf, para isso execute o seguinte comando para abrir o arquivo em modo de edição:

$ sudo nano /var/www/miolo25-gnuteca/etc/miolo.conf  

Observa-se que o nano é um editor de texto.

O conteúdo a ser alterado dentro da seção <db> é a palavra postgres dentro das tags <password></password>:

<gnuteca3>

<system>postgres</system>
<host>127.0.0.1</host>
<port>5432</port>
<name>gnuteca3</name>
<user>postgres</user>
<password>postgres</password>
</gnuteca3>

12 – Alterar o arquivo pg_hba.conf do Postgres, usando o seguinte comando:

$ sudo nano /etc/postgresql/9.1/main/pg_hba.conf

Procure a linha abaixo:

# TYPE DATABASE USER ADDRESS METHOD

e a seguir coloque a seguinte linha:

host    all    postgres    127.0.0.1/32    trust

13 – Reiniciar o Postgresql

$ sudo service postgresql restart

14 – Basta digitar http://gnuteca.localhost (no browser) que seu gnuteca estará pronto para uso em ambiente local. (usuario e senha são a palavra “gnuteca”)

15  – Para que o gnuteca fique disponível para ser acessado via web, em outros micros, são necessárias algumas alterações no apache. Altere o arquivo ports.conf do apache:

$ sudo nano /etc/apache2/ports.conf

Dentro do arquivo vai encontrar as duas próximas linhas, na sequencia insira as próximas duas.

NameVirtualHost *:80
Listen 80

NameVirtualHost *:81
Listen 81

16 – Alterar o arquivo default em sites-avaiable do Apache 2. Deverá executar o comando a seguir para abrir o arquivo e copiar o conteúdo logo a seguir para o final do arquivo. Verifique que o ServerName passa a ficar comentado e é criado um virtual host para porta 81.

$ sudo nano /etc/apache2/sites-available/default

<VirtualHost *:81>
ServerAdmin admin@server.org
DocumentRoot /var/www/miolo25-gnuteca/html
# ServerName gnuteca.localhost
<Directory “/var/www/miolo25-gnuteca/html”>
AllowOverride None
Options Indexes FollowSymLinks MultiViews
Order allow,deny
Allow from all
</Directory>
ServerSignature On
php_value memory_limit 512M
php_value magic_quotes_gpc On
php_value short_open_tag On
php_value session.gc_maxlifetime 18000
php_value error_reporting ~E_ALL
</VirtualHost>

17 – Reiniciar o apache

$  sudo service apache2 restart

18 – Para executar do próprio micro execute o seguinte comando em um browser:

http://localhost:81

19 – Para acessar de outro micro na rede, utilize o endereço ip da máquina onde foi instalado o gnuteca.

http://numero_ip:81

20 – Se não sabe seu número IP vai até o terminal e digital o seguinte comando:

$ ifconfig

%d blogueiros gostam disto: